- É um prazer recebê-lo em nossa página. 3715325 visitantes

Corona Virus


INFORMATIVO I

O que precisa saber sobre coronavirus.

A ANS aprovou a inclusão de exame de detecção do coronavírus no ROL de Procedimentos obrigatórios para os beneficiarios de plano de saúde, através da Resolução Normativa nº 453/20. Arealizaçã do examre está sujeita à Diretriz de Utilização.nº 126. E por essa razão necessita de autorização.

O exame incluído no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS é o “SARS-CoV-2 (CORONAVÍRUS COVID-19) – pesquisa por RT – PCR (com diretriz de utilização).

Os médicos e os hospitais da rede Memorial já possuem orientação sobre o atendimento e esclarecimento de dúvidas sobre o diagnóstico ou tratamento da doença.

Informamos que o protocolo e diretrizes podem ser revistos a qualquer momento e que o tratamento aos pacientes diagnosticados com o COVID-19 já é assegurada aos beneficiários de acordo com a segmentação dos seus planos.

A cobertura é obrigatória quando o paciente se enquadrar na definição de caso suspeito ou provável de doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19) definido pelo Ministério da Saúde. Ressalta-se que, no momento o exame para detecção do coronavirus está restrito, por orientação do Ministério da Saúde, aos pacientes internados. Essa recomendação pode ser mudada a qualquer momento pelo Ministério da Saúde.

INFORMATIVO II

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Atendimento e tratamento COVID-19

Até o momento não há medicamento específico para o tratamento da Infecção Humana pelo novo Coronavírus (COVID-19). No entanto, medidas de suporte devem ser implementadas. No atendimento, deve-se levar em consideração os demais diagnósticos diferenciais pertinentes e o adequado manejo clínico.

Casos suspeitos ou confirmados para COVID-19 que não necessitem de hospitalização e o serviço de saúde opte pelo isolamento domiciliar, o médico poderá solicitar RX de tórax, hemograma e provas bioquímicas antes de serem dispensados para o domicílio a depender da avaliação clínica do paciente.

Diagnóstico

Diagnóstico Clínico

O quadro clínico inicial da doença é caracterizado como síndrome gripal, no entanto, casos iniciais leves, subfebris, podem evoluir para elevação progressiva da temperatura e a febre ser persistente além de 3-4 dias, ao contrário do descenso observado nos caso de Influenza. O diagnóstico depende da investigação clínico-epidemiológica e do exame físico.

É recomendável que em todos os casos de síndrome gripal seja questionado o histórico de viagem para o exterior ou contato próximo com pessoas que tenham viajado para o exterior. Essas informações devem ser registradas no prontuário do paciente para eventual investigação epidemiológica.

Diagnóstico Laboratorial

O diagnóstico laboratorial para identificação do vírus COVID-19 é realizado por meio das técnicas de RT-PCR em tempo real e sequenciamento parcial ou total do genoma viral.

Diagnóstico Diferencial

As características clínicas não são específicas e podem ser similares àquelas causadas por outros vírus respiratórios, que também ocorrem sob a forma de surtos e, eventualmente, circulam ao mesmo tempo, tais como influenza, parainfluenza, rinovírus, vírus sincicial respiratório, adenovírus, outros coronavírus, entre outros

Definição de Caso De Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

Indivíduo de qualquer idade, com Síndrome Gripal e que apresente dispneia ou os seguintes sinais de gravidade:

  • Saturação de oxigênio menor que 95% em ar ambiente
  • Sinais de desconforto respiratório ou aumento da frequência respiratória avaliada de acordo com a idade
  • Piora nas condições clínicas de doença de base
  • Hipotensão em relação à pressão arterial habitual do paciente
  • Em crianças, além dos itens acima, observar: batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência

Fatores de risco para Complicações

  • Grávidas em qualquer idade gestacional, puérperas até duas sema-nas após o parto (incluindo as que tiveram aborto ou perda fetal)
  • Indivíduos que apresentem:
    • Pneumopatias (incluindo asma)
    • Cardiovasculopatias (excluindo hipertensão arterial sistêmica)
    • Nefropatias
    • Hepatopatias
    • Doenças hematológicas (incluindo anemia falciforme)
    • Distúrbios metabólicos (incluindo diabetes mellitus descompensado)
    • Transtornos neurológicos que podem comprometer a função respiratória ou aumentar o risco de aspiração (disfunção cognitiva, lesões medulares, epilepsia, paralisia cerebral, síndrome de Down, atraso de desenvolvimento, acidente vascular cerebral (AVC) ou doenças neuromusculares)
    • Imunossupressão (incluindo medicamentosa ou pelo vírus da imunodeficiência humana)
    • Obesidade
  • Indivíduos menores de 19 anos de idade em uso prolongado de ácido acetilsalicílico (risco de síndrome de Reye)
  • Adultos maiores de 60 anos
  • Crianças menores de 2 anos
  • População indígena

Como é definido um caso suspeito do Coronavírus (COVID-19)?

  • 1.CASO SUSPEITO DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19)
    • Situação 1 – VIAJANTE: pessoa que apresente febre E pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E com histórico de viagem para país com transmissão sustentada OU área com transmissão local nos últimos 14 dias (figura 1); OU
    • Situação 2 - CONTATO PRÓXIMO: Pessoa que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E histórico de contato com caso suspeito ou confirmado para COVID-19, nos últimos 14 dias
  • 2.CASO PROVÁVEL DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19)
    • Situação 3 - CONTATO DOMICILIAR: Pessoa que manteve contato domiciliar com caso confirmado por COVID-19 nos últimos 14 dias E que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia). Nesta situação é importante observar a presença de outros sinais e sintomas como: fadiga, mialgia/artralgia, dor de cabeça, calafrios, manchas vermelhas pelo corpo, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência.
    • Situação 4 – Contágio comunitário, quando não se consegue detectar a origem da contaminação. Estamos já nessa fase no Brasil e por isso é recomendado evitar aglomerações, praias, shopping, eventos artísticos (shows, cinema, teatro). Importante manter-se isolado na medida do possível e se tiver sintomas leves, fique em casa em observação e trate como um quadro gripal, já que não há tratamento específico para coronavírus

Se houver persistência dos sintomas procure um médico para orientá-lo. Os exames serão pedidos a critério médico, sendo que o exame específico segue as orientações do Ministério da Saúde que até o momento preconiza que seja realizado nos casos graves e internados.

Coronavírus: Confira informações e saiba como se prevenir

Com o objetivo de disseminar informações relevantes das autoridades de saúde a respeito do novo coronavírus, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) disponibiliza as orientações e os cuidados para prevenir e evitar a propagação da doença. Confira abaixo os principais esclarecimentos sobre o tema, que têm como base dados divulgados e atualizados pelo Ministério da Saúde:

O que é o coronavírus?

Trata-se de um vírus que causa doença respiratória pelo agente coronavírus, com casos originados na China e que vêm se disseminando rapidamente em outros países.

É uma doença nova? Por que devo me preocupar?

O novo coronavírus 2019-nCoV, é uma mutação da família coronavírus, conhecida desde os anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente causam doenças respiratórias leves a moderada, semelhantes a um resfriado comum.

Trata-se de um vírus perigoso pela velocidade de disseminação e a capacidade de combatê-lo.

A transmissão

As investigações sobre a transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação da doença se dá por contato próximo de pessoa por pessoa.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o coronavírus se espalha de pessoa para pessoa. Apesar disso, a transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Os sintomas

Os sintomas são semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. Os principais são indícios são:

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar

Vale destacar que o vírus pode ficar incubado por duas semanas, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

O tratamento

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. É recomendado repouso e consumo de bastante água. Outras medidas também devem ser adotadas para aliviar os sintomas, dependendo de cada caso, como, por exemplo:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos)
  • Uso de humidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse
Importante:
  • Ao surgirem os primeiros sintomas, é fundamental procurar ajuda médica imediata para confirmar diagnóstico e iniciar o tratamento.

A prevenção

Entre as medidas preventivas estão:

  • Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.
Importante:
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem disseminação de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS - http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/5344-coronavirus-confira-informacoes-e-saiba-como-se-prevenir

O Ministério da Saúde brasileiro tem divulgado informações sobre casos suspeitos que estão sendo investigados no país. Clique aqui para acessar. Essas informações também podem ser acessadas pelo portal da ANS, onde um banner na página inicial que direciona o usuário diretamente para essa área do site do Ministério da Saúde. Também com o objetivo de facilitar o acesso a informações sobre o tema, foi desenvolvido um aplicativo para aparelhos móveis como plataforma oficial com dicas, informações e notícias sobre a Doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19), disponível para download em IOS e Android:

A fim de esclarecer e alertar a população sobre Fake News, o Ministério da Saúde disponibilizou um número de WhatsApp para que qualquer cidadão possa enviar mensagens com imagens ou textos que tenha recebido sobre o Coronavírus e confirmar se a informação procede. O número é (61) 99289-4640. Veja os ultimos informativos sobre o Coronavírus

Rede Credenciada
Azul

Encontre o prestador mais próximo de você!

Consultar

Rede Credenciada
Verde

Encontre o prestador mais próximo de você!

Consultar

Rede Credenciada Plano
Empresarial

Encontre o prestador mais próximo de você!

Consultar